logotype
Comissão de Combate à Intolerância Religiosa tem audiência com o Secretário de Meio Ambiente do Estado, Índio da Costa.
Qui, 03 de Abril de 2014 17:14

O interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), babalawo Ivanir dos Santos, esteve nesta segunda-feira, 17 de março, na sede do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), para discutir com o secretário Índio da Costa sobre a retomada da construção de projeto que prevê espaço voltado exclusivamente para a realização de cultos religiosos, na Curva do S, Alto da Boa Vista. Participaram da reunião o subsecretário de Ambiente, Carlos Portinho; o superintendente de Educação Ambiental, Paulo Cesar Becker; a fundadora da CCIR, Fátima Damas; a coordenadora do Movimento Inter-religioso do Rio de Janeiro (MIR), Graça Nascimento; entre outros membros da Comissão.

 

Como justificativa para a suspensão da construção do “Espaço Sagrado”, local de 4.500 metros quadrados, da Costa alegou dificuldade orçamentária e desconhecimento técnico acerca do projeto, anunciado no início deste ano pelo então secretário Carlos Minc. “É importante despolitizar o tema. A minha responsabilidade aqui é de agir como um homem público, e entender o que é o projeto e o custo que vai gerar, para que eu possa justificar a liberação desta verba no Tribunal de Contas”, declarou.

Ivanir dos Santos ratificou a importância do diálogo acerca da intolerância religiosa. “A Comissão é formada por religiosos, mas o tema em questão faz parte de uma agenda civil. Esta é a razão principal de haver todos os anos a Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa. O ‘Espaço Sagrado’ é uma iniciativa pioneira, que promove o discurso ambiental e, se tiver continuidade, vai ser bom para milhares de fiéis, além de se tornar uma marca para a sociedade”, afirmou o babalawo.

Na reunião, ficou decidido que, no próximo dia 25, haverá novo encontro, a fim de que representantes das diversas religiões possam mostrar ao secretário as pendências técnicas restantes, com parecer técnico dos arquitetos responsáveis pelo projeto, além da estimativa do orçamento para a realização. O secretário manifestou interesse em dar continuidade, e afirmou que este compromisso não se trata de alguma questão pessoal, além de afirmar que tem compromisso com a liberdade religiosa.